quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Os Jovens Milionários de Renê Terra Nova

Igor Domanni

Me surpreendi ao ver, na comunidade cristã onde congrego, alguns jovens que diziam ter ido a um congresso de uma certa Aliança Jovem Internacional e que lá o "apóstolo" tinha dito [com cunho profético] que Deus iria levantar 12 milionários por estado e que estes iriam sustentar o Brasil.

Claro, com a melhor das intenções. Esses jovens não irão ser apegados ao dinheiro e irão manter ministérios e mais ministérios.

Mais impressionado [e triste] fiquei ao conversar com amigos sobre tal profecia e perguntar se tal teria uma base bíblica, algum fundamento em Cristo, enfim, se essa profecia realmente pode ser levada a sério?

E a resposta foi que nem tudo precisa ter base bíblica.

Ao insistir arguindo se Cristo, em sua passagem pela terra, fundamentou em algum momento tal ideia, a resposta foi que com Jesus o lance era diferente, porque ele se fez pobre para nos enriquecer! E que Jesus não disse que era impossível um rico entrar no Reino dos céus, era só muito difícil. Bom, eu nunca fui muito aventureiro mesmo...

Ao insistir mais ainda, lembrando a vida da igreja primitiva, onde todos repartiam tudo e nada tinham de si mesmos mas era tudo de todos. Uma pessoa argumentou (e não sofreu contra argumento de ninguém além de mim) que esse estilo de vida era só daquela época. Afinal eles pensavam que Jesus realmente voltaria logo (coitadinhos), por isso vieram com essa história de repartir tudo. Hoje, Deus quer que seus filhos sejam ricos e estejam nos maiores status da sociedade.

O que eu fiz? parei de argumentar. O que disse eles ouviram. Meus argumentos não fugiram da Palavra de Deus, de Cristo. Se eles insistem em relevar isso, tenho pena deles, pensam que estão no caminho certo mas não estão. Não há caminho fora do Caminho. O Caminho é Cristo. A Luz veio a nós mas os homens a desprezaram.

PS: sobre o "ele se fez pobre para nos enriquecer" está em 1Coríntios 8.9 Mas é só ler o contexto, voltando lá no começo do capítulo para que se entenda: o que Paulo estava falando da igreja da Macedônia, de como eles eram pobres financeiramente e mesmo assim, entregando tudo o que tinham para (provavelmente) financiar uma viagem dele. Veja os versículos 2 ao 4.


"Como em muita prova de tribulação houve abundância do seu gozo, e como a sua profunda pobreza abundou em riquezas da sua generosidade. Porque, segundo o seu poder (o que eu mesmo testifico) e ainda acima do seu poder, deram voluntariamente. Pedindo-nos com muitos rogos que aceitássemos a graça e a comunicação deste serviço, que se fazia para com os santos."

Para mim isso é muito mais uma gente sem recursos que pela Graça de Deus, por milagre mesmo dá e mesmo assim nada lhes faltam. Pela generosidade do coração deles.

Mesmo que eu não tenha argumentos para refutar a ideologia posta pelo tal versículo, olhando o corpo do texto, o contexto, a coisa muda de figura.

"Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais. Mas é grande ganho a piedade com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores." [1 Timóteo 6:3-10]

Nenhum comentário:

Postar um comentário