terça-feira, 14 de junho de 2016

OS TRÊS CAMINHOS DA IGREJA NA ATUALIDADE





A igreja brasileira vem sofrendo muito ultimamente pelos diversos ramos doutrinários que tem se estabelecidos no seu interior. Mas, hoje ha três caminhos que se tornaram mais evidentes, três caminhos que praticamente teremos que escolher na atual conjuntura religiosa. O professor Hermano Campos com muita propriedade explanou sobre este três caminhos, os quais procurarei reproduzir aqui com minhas palavras.

O primeiro caminho que você pode optar é o neopentecostalismo ou em alguns lugares conhecido como carismáticos, suas principais doutrinas são: confissão positiva, a batalha espiritual, maldições hereditárias e a chamada “teologia da prosperidade” que ensina que o crente tem que ser bem-sucedido, ter saúde plena física, emocional e espiritual, além de buscar a prosperidade material, e se não alcançar é por falta de fé ou pecado. A maioria de suas doutrinas não tem fundamentação bíblica. As chamadas campanhas são constantes, onde sinal de fé é a oferta financeira maior, por isso é necessário a cada dia mais criatividade para novas campanhas. Por último, contrário ao que Paulo instrui no livro de Gálatas este movimento tem introduzido a judaização nas igrejas

Outro caminho são os “desingrejados”, É comum encontrarmos pessoas que estão decepcionadas com Deus e com igreja (no caso instituição). Dizem que podem servir a Deus em casa sem precisar congregar, E não faltam acusações, que de alguma forma tente justificar o fenômeno: igreja ( instituição ) é lugar de hipócrita, o sistema é humano, o sistema é desumano, não existe amor entre os irmãos, os pastores são corruptos, e a lista não para. Uma coisa que percebo é que no Brasil tudo que cheira a algo libertário, religiosamente revolucionador, que caminha contra a boa tradição bíblica-histórica é sempre bem vindo.

Muitos saem por decepções com políticas eclesiásticas, perseguição, adoração a Mamom, ditadura, opressão e intolerância que de fato machuca e muitos por não saberem lidar emocional e espiritualmente passam a entender que saindo da igreja (instituição ) o problema será resolvido. E não podemos negar a grande influencia do ex pastor presbiteriano Caio Fabio a este movimento.

O outro caminho que podemos seguir é o caminho do evangelho simples, A fé em Jesus é a coisa mais simples e doce que você pode imaginar, pois Ele afirma no evangelho, que já está tudo feito e consumado através da Sua morte e ressurreição, e que todos aqueles que creem, já estão reconciliados com Ele, sem a necessidade de banhos de “sais proféticos” ou outros modismos. Estão complicando algo tão simples e puro como o Evangelho. É só deixar Cristo viver em nós e vivermos com Ele, mas aí o ser humano tem que inventar muita coisa, porque para alguns o que Cristo falou foi simples demais e ultrapassado.

O evangelho é só viver com Cristo e deixar Ele viver em nós, simples, é amar,
perdoar, pregar, adorar e sem precisar inventar. Muitos lideres em vez de levarem as pessoas ao exercício de uma fé simples e descomplicada em Deus, complicam tudo ao remetê-las a uma caminhada de luta baseada em esforço pessoal, que para nada aproveita. Bem disse o sábio Salomão: “Tudo o que eu aprendi se resume nisto: Deus nos fez simples três e direitos, mas nós complicamos tudo” (Ec 7.29). O evangelho simples de Jesus ele não oprime, dá liberdade; não aterroriza, lança fora o medo; não agoniza, traz descanso; não condena, traz perdão.


O Evangelho de Jesus não esmaga, alivia fardos; não manipula, respeita; não controla, traz consciência; não promove o ódio, ama; não separa Deus dos homens, os reconcilia; não promove a disputa, nem a contenda, traz a paz.

O Evangelho não vive em busca de erros, não usa as pessoas, vê o valor delas; não é um meio para se alcançar um fim, não é propriedade de ninguém, é de todos e é para todos.

Vendo assim fica fácil de entender qual o melhor caminho a seguir, embora seja visto como simplório na inversão de valores que vemos hoje é o caminho mais seguro para quem quer ter um relacionamento real com Deus.






Pastor Flávio Neres